Após ano de desvalorização, m² para aluguel no Rio fecha 2015 com queda de 21,2%

Após ano de desvalorização, m² para aluguel no Rio fecha 2015 com queda de 21,2%

Levantamento realizado pelo portal VivaReal, o índice DMI-VivaReal, com análises referentes a indicadores do setor imobiliário em 30 cidades brasileiras, mostra que, em 2015, após quatro trimestres consecutivos de desvalorização, o valor médio do m² para aluguel terminou o ano com queda acumulada de 21,2% no Rio de Janeiro, a maior entre as cidades analisadas. O valor médio do m² para venda também sofreu desvalorização - 1,3% no período.
Na capital carioca, os cinco bairros mais valorizados para venda foram Realengo (+9,2%), Madureira (+8,8%), Camorim (+8,7%), Irajá (+8,5%) e Penha (+7,5%). Os bairros com o m² mais caro do Rio de Janeiro são Leblon (R$ 22.941/m²), Ipanema R$ (20.833/m²), Lagoa (R$ 17.410/m²), Gávea (R$ 16.500/m²) e Jardim Botânico (R$ 16.111/m²). Os bairros mais procurados para compra e aluguel de imóveis foram Barra da Tijuca, Campo Grande, Recreio dos Bandeirantes, Copacabana, Botafogo e Tijuca.
Na Ilha do Governador, os bairros com o m² mais caros para venda são Jardim Guanabara (R$ 5.970/m²), Jardim Carioca (R$ 5.714/m²) e Moneró (R$ 5.263/m²). Já os mais valorizados foram Jardim Guanabara (+2,2%) e Tauá (+0,8%).
 Durante 2015, o Brasil passou por várias mudanças, principalmente na área da economia. Foi um ano difícil, que afetou a confiança dos brasileiros no mercado. Especificamente no setor imobiliário, a oferta de crédito foi dificultada com as mudanças nas regras de financiamento. Todo esse cenário justifica a desvalorização dos valores de imóveis. É importante entender, porém, que mudanças no mercado imobiliário são de longo prazo. Os preços não sofrem quedas bruscas e correspondem as demandas locais. Cada cidade possui uma dinâmica própria - explica Lucas Vargas, executivo chefe de Operações do portal VivaReal.
O DMI também apontou as preferências do carioca na hora procurar um novo lar. Os imóveis com dois dormitórios são procurados por 48% dos consumidores, mas a oferta não passa de 36%. A demanda por imóveis de até 100m² é de 63%, mas apenas 50% do inventário possui essa característica.
A oferta e demanda de imóveis na categoria preço é ainda mais desalinhada. Cerca de 50% das pessoas que buscam uma residência no Rio de Janeiro estão dispostas a pagar até R$ 350 mil, no entanto apenas 17% dos imóveis estão nessa faixa de preço.
Já em Niterói, o valor do m² para venda teve valorização de 1,3% em 2015, abaixo do indicador de inflação acumulado para o período - IPCA de 10,67%. Já o m² para aluguel apresentou queda de 3,8% no mesmo período.
Os bairros com o m² mais caros de Niterói foram Charitas (R$ 9.636/m²), Boa Viagem (R$ 9.167/m²), Icaraí (R$ 8.000/m²), São Francisco (R$ 7.500/m²) e Ingá (R$ 7.222/m²). Entre os bairros mais valorizados temos Piratininga (+8,9%), Charitas (+7,3%), Camboinhas (+5,0%) e Itaipu (+4,8%). Os bairros mais procurados para compra e aluguel de imóveis foram Icaraí, Itaipu, Santa Rosa, Centro, Fonseca e Piratininga.

Fonte: obra24horas

Notícias Relacionadas

Como recuperar obras com problema estrutural?

 

Os síndicos de condomínios ou proprietários de casas,...

Ler mais >>
Critérios para escolha do sistema de estruturas de concreto armado

A escolha de equipamentos deve se basear em critérios...

Ler mais >>
Cenário está mais otimista para a construção, diz CNI

 

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria mostra que...

Ler mais >>