Empregos na construção civil favorecem MS e governo dialoga com setores para manter vagas

Empregos na construção civil favorecem MS e governo dialoga com setores para manter vagas

O desempenho de Mato Grosso do Sul na geração de empregos no mês de janeiro deste ano foi superior ao resultado obtido no mesmo período em 2015 e o segundo melhor da região Centro-Oeste, impulsionado pelas contratações na construção civil. É o que revelam os últimos dados divulgados pelo Cadastro Geral de Emprego e Desemprego do Ministério do Trabalho e Emprego (Caged-MTE), referentes a janeiro 2016, compilados na Carta de Conjuntura do Mercado de Trabalho, publicada nesta segunda (29) pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade). 

Apesar do resultado dado positivo para o Estado, o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, alerta para a dificuldade que alguns setores estão enfrentando na manutenção e geração de novos empregos. “Tivemos um saldo geral positivo em janeiro devido ao bom desempenho da construção civil, puxado pelas obras de expansão da Fibria e da Eldorado em Três Lagoas, que são os maiores investimentos privados do país na área de celulose e foram captados no ano passado pelo governo o Estado. A situação em outros setores da economia, como o comércio, serviços e indústria é mais preocupante, pois eles não estão conseguindo equilibrar essa balança e têm apresentado saldo negativo na geração de empregos”, informa Verruck.

Segundo ele, o Governo do Estado está em diálogo permanente com os setores mais prejudicados por esse momento de retração nacional. Na semana passada, juntamente com o governador Reinaldo Azambuja, o secretário reuniu-se com 60 empresários das áreas de comércio e serviços para o estabelecimento de ações conjuntas e definição de mecanismos que possibilitem a manutenção e geração de novos empregos no Estado. “Estamos fazendo esse mesmo diálogo e alinhamento com outras áreas do setor produtivo, como a indústria e o agronegócio. Manter e gerar novos empregos é uma pauta permanente e prioritária do governo do Estado”, reforçou o secretário.

Desempenho de Mato Grosso do Sul

De acordo com a Carta de Conjuntura da Semade, Mato Grosso do Sul foi o único Estado do Centro-Oeste a apresentar crescimento nas contrações na construção civil, enquanto que o restante do Brasil acumula uma destruição de 2.588 empregos formais. No comércio, em janeiro de 2016, ocorreu uma redução de 505 vagas, devido à destruição de vagas no comércio varejista (715 vagas a menos), enquanto o comércio atacadista apresentou criação de 210 novas vagas.

Na indústria foram criados 157 postos de trabalho em janeiro de 2016. Os subsetores que tiveram maior criação de empregos formais foram: construção civil (345 vagas a mais), indústria mecânica (109 novas vagas), indústria metalúrgica (41 novas vagas) e madeira e mobiliário (1 nova vaga). No acumulado dos últimos 12 meses, há uma tendência de recuperação do setor iniciada em novembro de 2015, mas que ainda apresenta no acumulado dos últimos 12 meses uma destruição de 9.279 vagas a menos.

O município de Três Lagoas apresentou melhor resultado com geração de 320 novos postos de trabalho, seguido por Chapadão do Sul com 106. A explicação do bom resultado de Três Lagoas foi pela geração de novos postos de trabalho em todos os grandes setores de atividade com destaque para a Construção Civil (203 novas vagas) e Serviços (76 novas vagas). Já Chapadão do Sul o destaque foi na Agropecuária com geração de 47 novas vagas.

Fonte: obra24horas

Notícias Relacionadas

Como recuperar obras com problema estrutural?

 

Os síndicos de condomínios ou proprietários de casas,...

Ler mais >>
Critérios para escolha do sistema de estruturas de concreto armado

A escolha de equipamentos deve se basear em critérios...

Ler mais >>
Cenário está mais otimista para a construção, diz CNI

 

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria mostra que...

Ler mais >>