Ferramenta para medir emissões de gases de efeito estufa em edifícios já está sendo criado em SP

Ferramenta para medir emissões de gases de efeito estufa em edifícios já está sendo criado em SP

O Comitê do Meio Ambiente (Comasp) do Sindicato da Indústria da Construção de São Paulo (SindusCon-SP) criou recentemente um grupo de trabalho para elaborar uma ferramenta de cálculo para inventários de emissões de gases de efeito estufa do setor de edificações, destinada a construtoras e incorporadoras.

No encontro, o sócio-diretor da Pangea Capital, Roberto Strumpf, frisou discussões presentes na 21ª Conferência do Clima (COP 21) de Paris. Destacou a precificação do carbono como desdobramento esperado pelas empresas, o que deve aumentar custos dos produtos de duas formas: pela taxação, em que se paga por emissão gerada, ou pelo mercado, em que as empresas menos eficientes terão custos maiores na sua produção.

Natália Kurimori, analista de sustentabilidade da Pangea Capital, também citou a estrutura dos principais itens que devem integrar a nova ferramenta, e acrescentou que as bases para o projeto são o GHG Protocol, o Guia metodológico para inventário de emissões de gases de efeito estufa (GEE) - setor Edificações, lançado pelo SindusCon em 2013 e a experiência das empresas que já elaboraram os inventários das obras.

A coordenadora técnica do Comasp, Lilian Sarrouf, avaliou a reunião como produtiva. "Agora vamos fazer a lição de casa para que, em março, seja possível dar início aos testes com uma primeira versão da ferramenta".

Fonte: SindusCom-SP

Notícias Relacionadas

Como recuperar obras com problema estrutural?

 

Os síndicos de condomínios ou proprietários de casas,...

Ler mais >>
Critérios para escolha do sistema de estruturas de concreto armado

A escolha de equipamentos deve se basear em critérios...

Ler mais >>
Cenário está mais otimista para a construção, diz CNI

 

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria mostra que...

Ler mais >>