Indústria, construção civil e serviços deixam o saldo de contratações positivo na região

Indústria, construção civil e serviços deixam o saldo de contratações positivo na região

Os setores da indústria, construção civil e serviços ajudaram o saldo de contratações a ficar positivo na região de Ribeirão Preto no início de 2016. Dados do Boletim Mercado de Trabalho do Ceper/Fundace mostram que em janeiro, os setores registraram a criação líquida de 1331, 608 e 182 vagas, respectivamente.

As contratações balancearam as demissões da agropecuária, que apresentou saldo líquido de destruição de 349 vagas de trabalho, e do comércio, que registrou a destruição líquida de 66 vagas. Apesar do saldo líquido positivo de 1706 vagas criadas na região, o valor é 36% menor do que o registrado em janeiro de 2015.

De acordo com o levantamento do Ceper, grande parte das vagas criadas na construção civil em janeiro de 2016 estão relacionadas à montagem de instalações industriais e de estruturas metálicas. Já o desempenho ruim da agropecuária está ligado ao cultivo de cana-de-açúcar, que registrou a destruição de 683 postos de trabalho no período.

No município de Ribeirão Preto, o comércio foi o único setor a registrar saldo líquido de vagas negativo em janeiro de 2016. Os números são resultado do baixo desempenho nos segmentos de comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios e comércio varejista de calçados e artigos de viagem.

O volume de contratações exibido pelo município em janeiro de 2016 é superior ao registrado no mesmo mês do ano passado. Em 2016, Ribeirão Preto registrou a criação líquida de 238 vagas, contra 45 em 2015.

Sertãozinho também registrou desempenho favorável, com criação líquida de 913 vagas. Entre os setores, a indústria contabilizou o maior número de contratações (458) e o segmento que mais contribuiu para o resultado positivo foi manutenção e reparação de máquinas e equipamentos da indústria mecânica.

Outro município que terminou o mês de janeiro com saldo positivo de contratações foi Franca. A indústria exibiu o melhor desempenho entre os setores, com saldo de 1552 vagas criadas. De acordo com o Boletim Mercado de Trabalho, somente o segmento fabricação de calçados de couro contribuiu com a criação de 1208 vagas no período.

Já o setor que mais demitiu em Franca foi o comércio, principalmente pelo baixo desempenho nos segmentos de comércio varejista de mercadorias em geral e comércio varejista de mercadorias em geral com predominância de produtos alimentícios (hipermercados e supermercados). Ao todo, o setor registrou destruição líquida de 224 vagas.

Na contramão

Na contramão dos outros municípios analisados pelo Boletim, Campinas registrou saldo negativo de criação de vagas em janeiro, com 892 demissões líquidas. Entre os setores, somente a construção civil contabilizou contratações no período. O setor de comércio obteve o pior desempenho, resultado decorrente principalmente devido ao comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios.

São José do Rio Preto também terminou o mês de janeiro com destruição de vagas de trabalho. O saldo foi de 579 demissões líquidas, com pior desempenho atribuído ao comércio, que sozinho registrou 266 demissões. Os segmentos de comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios e comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios (hipermercados e supermercados) contribuíram para o baixo desempenho do setor comercial. Somente a agropecuária criou vagas no período, mas em montante pouco significativo: apenas cinco vagas.

Fonte: obra24horas

Notícias Relacionadas

Como recuperar obras com problema estrutural?

 

Os síndicos de condomínios ou proprietários de casas,...

Ler mais >>
Critérios para escolha do sistema de estruturas de concreto armado

A escolha de equipamentos deve se basear em critérios...

Ler mais >>
Cenário está mais otimista para a construção, diz CNI

 

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria mostra que...

Ler mais >>