Ministério das Cidades nega a suspensão da terceira fase do MCMV

Ministério das Cidades nega a suspensão da terceira fase do MCMV

Saiu a informação de que o Ministério das Cidades, agora comandado por Bruno Araújo, suspenderia toda a terceira fase do Minha Casa Minha Vida (MCMV 3) por 40 dias. O objetivo, segundo o jornal O Estado de São Paulo, era o "aprimoramento" do programa habitacional.

 

Em nota à imprensa, entretanto, o Ministério das Cidades declarou que o programa deve continuar. "Estamos em um momento de transição, em hipótese alguma neste momento falaríamos em uma suspensão do programa Minha Casa, Minha Vida. O que estamos fazendo é sendo cautelosos, avaliando o que nos permite prometer para que não possam ocorrer falsas esperanças, iremos trabalhar arduamente para que possamos fazer o melhor para a população brasileira", afirmou Araújo.

 

Ainda segundo o ministério, programas sociais são prioridade do governo interino Michel Temer. "O Ministério das Cidades reafirma o compromisso não só com a manutenção do MCMV, mas também com a importância do seu aprimoramento e na medida em que a economia permitir, sua ampliação, com objetivo justamente de garantir que os programas sociais possam prosseguir", disseram em nota.

 

Na última semana, o governo anunciou a revogação da Portaria 178, responsável pela contratação da modalidade "Entidades" do programa. A medida comprometeu mais de 10 mil unidades contratadas por Dilma Rousseff no dia 6 de maio.

 

Repercussão

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) se manifestou em nota dizendo que novas contratações das faixas 2 e 3 do MCMV deverão ser mantidas durante a avaliação de 40 dias a ser realizada pelo Ministério das Cidades.

 

A alegação é de que as faixas dependem de poucos recursos do Tesouro, com financiamento baseado principalmente no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A entidade disse ainda acreditar que as faixas 2 e 3 serão mantidos e que poderão ser feitos pequenos ajustes para melhorar o programa.

 

De acordo com o sindicato, o diagnóstico das finanças do governo a ser divulgado na próxima semana pelo Ministério da Fazenda será importante para que o MCMV siga um cronograma e permita às empresas se programarem para investimentos nos próximos meses.

 

Fonte: PiniWeb

Notícias Relacionadas

Como recuperar obras com problema estrutural?

 

Os síndicos de condomínios ou proprietários de casas,...

Ler mais >>
Critérios para escolha do sistema de estruturas de concreto armado

A escolha de equipamentos deve se basear em critérios...

Ler mais >>
Cenário está mais otimista para a construção, diz CNI

 

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria mostra que...

Ler mais >>