Nova possibilidade? Construtora troca argamassa tradicional por estabilizada e reduz custo da obra

Nova possibilidade? Construtora troca argamassa tradicional por estabilizada e reduz custo da obra

Uma construtora testou novo estudo, comparando os custos entre argamassa tradicional e estabilizada para utilizar em reboco interno, incluindo halls, escada de incêndio e apartamentos, de um empreendimento hoteleiro e residencial na cidade de Goiânia-GO.

O resultado do estudo mostrou que o custo final ( material e mão de obra) da argamassa estabilizada seria 1,55% menor que o custo da tradicional. Representando portanto para a empresa uma redução de R$4,86 por metro cúbico de argamassa, o equivalente a quase R$13.000 no total da obra.

De acordo com o engenheiro cordenador de obras da construtora, para o site Construção Mercado, a escolha pela argamassa estabilizada dispensou o emprego da mão de obra de preparo do insumo e facilitou muito mais a logística de operações. Já que a argamassa estabilizada pode ser entregue pronta no canteiro, enquanto que a tradicional requer um preparo no local, consumindo portanto tempo dos trabalhadores para mão de insumo e valor real mais elevado.

Segundo a empresa, utilizaram-se 2.657,91 m³ de argamassa para executar 63.283,52 m² de reboco. O prédio do empreendimento vai ser totalizado por duas torres independentes. Sendo uma hoteleira com 21 pavimentos e 160 unidades e a residencial  com 30 pavimentos e 100 apartamentos. O término da obra está previsto para o primeiro semestre de 2017.

 

Dados: Construção Mercado 

Notícias Relacionadas

Como recuperar obras com problema estrutural?

 

Os síndicos de condomínios ou proprietários de casas,...

Ler mais >>
Critérios para escolha do sistema de estruturas de concreto armado

A escolha de equipamentos deve se basear em critérios...

Ler mais >>
Cenário está mais otimista para a construção, diz CNI

 

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria mostra que...

Ler mais >>