Preço dos imóveis em Manaus e região metropolitana deve sofrer aumento em 2017

Preço dos imóveis em Manaus e região metropolitana deve sofrer aumento em 2017

Empresários do setor imobiliário afirmaram ontem que o preço dos imóveis em Manaus e região metropolitana deve sofrer aumento daqui a ano, assim que esgotarem os estoques de unidades novas disponíveis para venda. Na manhã de ontem, a Associação de Empresas do Mercado Imobiliária do Amazonas (Ademi) apresentou os dados na “Pesquisa de Mercado Imobiliário de Fevereiro de 2016”.

“Se a velocidade de 7,6% de vendas sobre a oferta for mantida, em 14 meses não teremos mais estoque”, disse o presidente da Ademi, Romero Reis.

Para o empresário, este é o melhor momento para comprar, uma vez que as construtoras e incorporadoras não estão reajustando o preço dos imóveis, mesmo com inflação atual que passa de 11% ao ano e a crise econômica no País.

Em fevereiro foram vendidas 252 unidades habitacionais em Manaus, uma média de 8,5 imóveis por dia. Desses, 20 unidades na planta, 96 em obra e 136 unidades prontas para morar. O saldo é de 3.742 unidades disponíveis, a maioria delas residenciais de 2 e 3 quartos com até 100m². Hoje o metro quadrado mais caro da capital amazonense ainda é a Ponta Negra (R$ 9.354,84), na zona Oeste, e o mais barato é o Tarumã-Açu, na zona Oeste, enquanto o mais barato (R$ 3.192,96) está no bairro Santa Etelvina. Os bairros que mais venderam no período foram Parque Dez (41,2%) e Tarumã (19,2%). Segundo pesquisa da Fipe, Manaus é a quinta cidade pesquisada com o metro quadrado mais barato do Brasil - R$ 4.808,46. No ranking dos mais caros estão Rio de Janeiro, São Paulo (R$ 8.616,00) e Brasília (R$ 8.557,00).

Crédito na Caixa

Presente no evento, o gerente regional da Caixa Econômica, Wellington Lopes, informou que a Caixa Econômica tem R$ 260 milhões de crédito para financiar imóveis no Amazonas.“Aquele mutuário que por ventura for procurar imóveis de até R$ 180 mil e renda de até R$ 5 mil, a Caixa tem muito crédito disponível. Nós temos o SBPE que também tem recursos de 140 milhões, sendo que a cota é até 70% e financiamento e 80% para servidor público. Para o programa Minha Casa, Minha vida temos R$ 120 milhões até junho”, explicou. A Caixa Econômica tem hoje 91% dos financiamentos imobiliários no Amazonas. Em nível nacional o banco público possui 73% dos contratos.

Condições

Manaus está na 17ª colocação nacional entre o valor do metro quadrado de R$ 4.808. A Ademi afirma que isso é uma vantagem, pelos insumos virem de fora, além de os cartórios da cidade cobrarem altas taxas na aquisição de imóveis.

Fonte: obra24horas

Notícias Relacionadas

Como recuperar obras com problema estrutural?

 

Os síndicos de condomínios ou proprietários de casas,...

Ler mais >>
Critérios para escolha do sistema de estruturas de concreto armado

A escolha de equipamentos deve se basear em critérios...

Ler mais >>
Cenário está mais otimista para a construção, diz CNI

 

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria mostra que...

Ler mais >>