Segundo KPMG, mercado instável é o principal desafio do setor imobiliário nos próximos anos

Segundo KPMG, mercado instável é o principal desafio do setor imobiliário nos próximos anos

Em pesquisa realizada pela KPMG, mais de 50% dos executivos do setor imobiliário acreditam que o principal desafio ao desempenho do segmento nos próximos três anos será o mercado instável. Ainda segundo a pesquisa, outros 27% avaliam que o segundo maior desafio será a disponibilidade de funding, que desacelera os investimentos e retarda o resgate do ciclo de fortalecimento do mercado.

“Considerando o inseguro cenário que empreendedores, executivos e investidores têm encontrado no país, o clima de incertezas e as rápidas mudanças dos ambientes regulatório e fiscal podem interferir ainda mais no crescimento dos negócios”, comenta o sócio da KPMG, Ederson Carvalho. 

Para 2016, 36% dos respondentes afirmam que as empresas precisarão focar na redução de custos; 29% acreditam que elas cuidarão de renegociações financeiras; e 26% darão atenção à eficiência operacional, visando maior produtividade para que seus negócios deslanchem novamente.

“É imprevisível o rumo que a economia e, por consequência, o mercado tomará nos próximos anos. É importante manter a confiança de que haverá estabilização e reaquecimento nos negócios no país, mas para isso as gestões precisarão de objetivos bem definidos e a compreensão de que haverá necessidade de mudanças que refletirão positivamente no futuro”, analisa Carvalho.

Sobre a Pesquisa

A pesquisa foi realizada durante o evento “Setor imobiliário: principais desafios do ambiente fiscal”, em dezembro de 2015 na sede da KPMG em São Paulo.
 

Fonte: obra24horas

Notícias Relacionadas

Como recuperar obras com problema estrutural?

 

Os síndicos de condomínios ou proprietários de casas,...

Ler mais >>
Critérios para escolha do sistema de estruturas de concreto armado

A escolha de equipamentos deve se basear em critérios...

Ler mais >>
Cenário está mais otimista para a construção, diz CNI

 

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria mostra que...

Ler mais >>