Uso de materiais sustentáveis agrega valor e reduz custos em obras

Uso de materiais sustentáveis agrega valor e reduz custos em obras

A utilização de materiais sustentáveis e ecologicamente corretos em uma obra já não é mais sinônimo de aumento de custos. De acordo com a RCervellini, empresa líder no segmento de pisos e revestimentos, praticamente não há diferença de valores entre produtos que contribuem para uma construção sustentável e produtos convencionais, com a vantagem de que alguns materiais ecologicamente corretos podem representar economia de tempo, de água e de dinheiro.

Segundo o engenheiro da RCervellini, Fernando Assiz, a preocupação com a utilização de produtos sustentáveis e ecologicamente corretos é mundial. "Possuir um empreendimento com certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), por exemplo, é algo muito bem visto pelo mercado e que agrega valor ao empreendimento", destaca.

Com um portfólio de produtos composto por materiais de baixo impacto ambiental, ou seja, fabricados com materiais recicláveis, reciclados e de reuso, e produtos que colaboram para a eficiência energética, com baixa emissão de compostos orgânicos voláteis e que geram poucos resíduos, a RCervellini incentiva o uso dos mesmos e só vê aumentar a procura por esse tipo de produto em obras de pequeno, médio e grande porte. Tanto que em 2015 a venda de drywall e placas cimentícias para construção a seco superou a venda de pisos pela primeira vez, em 40 anos, na empresa.

“Enquanto uma obra feita com tijolos e argamassa consome 8 litros de água por metro quadrado, uma construção com placas cimentícias e drywall usa apenas 1 litro de água por metro quadrado. Eles também reduzem de forma significativa o desperdício de matérias-primas, gastos com logística e uso de energia, além de apresentarem qualidade e durabilidade”, justifica Assiz.

Além do drywall e placas cimentícias, dos produtos que se adequam ao conceito de construção sustentável na RCervellini se destacam: o piso elevado produzido com materiais reciclados que pode ser reaproveitado em outras obras; pisos laminados com certificação FSC, que atesta que a madeira é proveniente de florestas com manejo ambientalmente adequado, socialmente benéfico e economicamente viável; pisos vinílicos produzidos a partir de PVC reciclado, com certificação sustentável e Certificação de Rótulo Ambiental ABNT; carpetes com selo VOC que atesta baixa emissão de compostos orgânicos voláteis e colaboram para a melhora da qualidade do ar interno; e rodapés produzidos com poliestireno reciclado.

"Temos diversos produtos com certificação ambiental que estão cada vez mais acessíveis e que conseguem unir tecnologia e sustentabilidade sem abrir mão do design", comenta Assiz.

Fonte: obra24horas

Notícias Relacionadas

Como recuperar obras com problema estrutural?

 

Os síndicos de condomínios ou proprietários de casas,...

Ler mais >>
Critérios para escolha do sistema de estruturas de concreto armado

A escolha de equipamentos deve se basear em critérios...

Ler mais >>
Cenário está mais otimista para a construção, diz CNI

 

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria mostra que...

Ler mais >>